29 de mar de 2012

Desafios

 
O ser humano desde o momento de sua concepção já enfrenta desafios; imaginem,  senhoras e senhores, que milhões de espermatozóides saem em uma corrida desenfreada com o objetivo de “apenas um deles” – fecundar um óvulo feminino. Uma vez fecundado, vamos para o desafio da gestação, cuidados, conforto, alimentação...
...tudo para que o feto receba tudo “do bom e do melhor”...

Ao final da gestação o desafio de nascer. Sair de um ambiente de iluminação confortável e extremamente anatômico,   para um ambiente com um feixe de luz superpotencializado como é o caso de um bloco cirúrgico. Uma claridade nada confortável. (deve ser por isso que tenho tantas  enxaquecas, a claridade me incomoda até hoje)
Daí,  vamos encarar mais desafios, aprender a comer, usar fraldas e se sentir confortável com isto, aprender a andar, fazer xixi sozinho, adaptação às mudanças de alimentos...
Brincar, brincar muuuuuito...

Rir, chorar, conhecer as sensações, sentir cheiros, gostos, conhecer músicas, cantar, gritar, bater palmas...
Então vem a escola e os desafios são outros, adaptar-se à Sala de Aula, aos professores, aos colegas, aprender a construir e respeitar os relacionamentos, conhecer regras, não cumpri-las e sofrer por isto;  Na aula de educação física, aprender a jogar, a competir (ora, já competimos no início de nossa concepção...) aprender a ganhar e comemorar por isto. Aprender a perder e motivar-se com isto; e o desafio agora será o próximo jogo, o jogo em que estamos motivadíssimos a ganhar e, comemorar com muito mais alegria o somatório de todos os esforços investidos nos treinos preparatórios que antecederam aquela vitória.

Vem a adolescência:  e o desafio?
Seria se apaixonar?
Ou, por outro lado, senhoras e senhores, seria aprender a conviver com este sentimento que até então desconhecíamos?
Dividir com o outro os nossos desejos, anseios, angústias, vontades, emoções parece ser um desafio e dos grandes.
O ciúme não é garantia de que o outro não irá traí-lo. O ciúme é indigesto e uma das ciências mais difíceis não é a filosofia ou a biologia, mas o RELACIONAMENTO.

Próximo desafio: Filhos
Desafio seguinte: Educá-los
Desafios agregados: cuidar, acompanhar, aplaudir, apoiar, ajudar, orientar, ensinar, dar limites, vibrar, aceitar, dizer NÃO, estar junto e afastar-se (estrategicamente)...
E só depois de passar por todos estes desafios é que passamos a descobrir que ninguém carrega o peso do fardo de nossas dores; que temos que nos educar com os sofrimentos.

Ninguém acreditará que as suas dores são maiores do que as dores do outro então: livre-se das dores, aflições e angústias. Se auto-ilumine! Use o bom humor. Comigo Funciona!
Ninguém entenderá os problemas complexos da existência e que o silêncio é para ser exercitado.
Ninguém seguirá com você infinitamente, temos que nos acostumar com a solidão.

É por isso que muitas vezes, à noite, em minha casa ao som de uma boa música curto o sabor de um bom vinho! Mas não apenas o sabor de um bom vinho, mas a forma como escolhi servi-lo para mim mesma: numa elegante taça alta de cristal.
Ninguém responderá pelos seus erros. 
Cabe a você próprio o cuidado em proceder. 

Ninguém te libertará do arrependimento depois de um crime. 
Medite na paciência e, O DESAFIO MAIS DIFÌCIL: DOMINE OS SEUS IMPULSOS.

Ninguém suportará as suas exigências (lembre-se do desafio de apaixonar-se ou lidar com esta paixão...)   Seja simples, brando, calmo. Entenda o outro.
Ninguém compreenderá seus sacrifícios e renúncias para manutenção de uma vida modesta e honrada. Preserve o dever bem cumprido!

Sábio é todo aquele que reconhece e admite ser pequeno Diante da grandeza da vida.
Você SEMPRE encontrará excelentes pessoas na sua trajetória de vida. Excelentes não pela essência da palavra, mas pelo que elas puderam contribuir no teu amadurecimento e se você refletir bem sobre isto você verá que foram todas estas pessoas que te ajudaram a vencer TODOS, ABSOLUTAMENTE TODOS OS DESAFIOS que você encontrou e que continuará encontrando na sua linha de vida.

Na escola da vida a LUTA é a lição de cada hora, simplesmente APRENDA.
Tire proveito de tudo para si próprio com o mero objetivo de evoluir. Seja um jardim espalhe beleza e distribua, gratuitamente, alegria.
Se alguém lhe fechar a porta, não tente abri-la. Respeite a vontade de quem a fechou. 
O confronto não é saudável. Procure as janelas, outras saídas, outros horizontes, seja  SÁBIO em lidar com TODOS OS DESAFIOS DA SUA VIDA.

texto de Márcia Cristina Boullosa

13 de mar de 2012

Por que perdoar ?

Se perdoar fosse uma coisa fácil, todo mundo perdoava todo mundo, ninguém brigava com ninguém e tudo seria diferente e maravilhoso. 
Só que não é assim...
A regra geral é, de fato, não perdoar, ou perdoar da boca pra fora e guardar a mágoa. 
Não existe fórmula pra perdoar. 
Perdão é como sexo:  você pode até ver outros fazendo, achar que sabe, mas vai ter de meter a cara você mesmo (às vezes literalmente) pra aprender como é que a banda toca.

Perdoar é mais importante para quem perdoa do que para quem recebe o perdão. 
Afinal, se alguém faz uma sacanagem com você e não está nem aí, pra que perdoar, não é esse o pensamento? 
Pois é !
Só que a raiva e a mágoa vão corroendo por dentro, criando raízes profundas de amargura e espalhando como um câncer.
Mesmo que não haja sintoma característico, o "problema" fica instalado na mente e quanto mais recebe 'atenção' mais se alimenta, cresce e ganha força, até acabar com você !

Se perdoar fosse uma coisa dispensável, Jesus não teria acrescentado nada ao "Pai Nosso":
"...e perdoa-nos as nossas dívidas, na medida em que perdoamos aos nossos devedores",

ou seja: é na mesma proporção !

Na bíblia está escrito "... e perdoa as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores", observe que o verbo PERDOAR está no tempo passado, como se perdoar fosse algo intrínseco a nossa natureza.
Só que Jesus, conhecendo como ninguém a alma humana acrescenta em seguida:
'Porque, se perdoardes aos homens as suas dívidas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas dividas' (Mateus 6:14)

É óbvio que a tradução usada no 'Pai Nosso' não foi das melhores. 
A palavra grega original diz "hoce",  que  significa "assim como", "na medida que", "de acordo com", bem mais próximo com o que Jesus disse e viveu.
Perdoar torna a NOSSA vida mais fácil, perdoar é um facilitador de vida. 
Perdoar é quando nós decidimos ser feliz em obediência a Palavra e isso gera o bem estar da proteção de Deus.

'Tende cuidado de vós mesmos; se teu irmão pecar, repreende-o; e se ele se arrepender, perdoa-lhe. Mesmo se pecar contra ti sete vezes no dia, e sete vezes vier ter contigo, dizendo: 
Arrependo-me; tu lhe perdoarás' (Lucas 17:3).
Então Pedro, aproximando-se dele, perguntou: 
Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu hei de perdoar? Até sete? 
E Jesus respondeu: 
'Não te digo que até sete; mas até setenta vezes sete (Mateus 18:21)

O resumo da 'ópera' é que se  não existe limite para as ofensas e ofensores, muito menos limite ainda haverá para o perdão.
Em Cristo nós fomos lavados e perdoados e quanto maior for essa consciência, maior será também a capacidade de lembrar das águas turvas que passaram pela vida sem ressentimentos, vestígios ou rancor.
Nutrir sentimentos de vingança é viver de forma absolutamente estúpida, como tomar veneno esperando que o outro morra.
O perdão é saúde para alma.
George Arribas