28 de fev de 2009

A Perfeita Natureza

O Mel e a Canela

Você sabia que o MEL DE ABELHAS é o único alimento que não estraga?

A mistura de mel e canela cura a maioria das doenças.
O mel é produzido em quase todos os países do mundo.
Apesar de ser doce, a ciência demonstrou que, tomado em doses normais como medicamento, o mel não faz mal aos diabéticos.
A revista 'Weekly World New', do Canadá, publicou uma lista das doenças que são curadas pelo mel, misturado com canela.



Doenças do Coração
Faça uma pasta de mel com canela. Coloque no pão e coma-o regularmente no café da manhã, no lugar da manteiga e geléia.
Ela reduzirá o colesterol das artérias e previnirá problemas no coração.
Também previne novos infartos nas pessoas que já tiveram um antes.
O uso regular deste processo diminui a falta de ar e fortalece as batidas do coração.
Nos Estados Unidos e Canadá, se utiliza esta pasta continuamente nos asilos. Descobriu-se que o mel com canela revitaliza e limpa as artérias e veias dos pacientes idosos.

Artrite e Infecções de Rins
Misturar uma xícara de água morna com 02 colheradas de mel e 01 colherinha de canela em pó. Beber uma xícara de manhã e uma de noite.
Se tomar com frequência pode até curar a artrite crônica, além de eliminar os germes que produzem infecção nos rins.
Numa pesquisa feita na Universidade de Kopenhagen, os médicos deram aos seus pacientes diariamente, antes do café da manhã, 01 colherada de mel e meia colherada de canela em pó.
Em uma semana, de 200 pacientes que seguiram o tratamento, 75 deixaram de ter dor inteiramente.
Um mês depois, todos os pacientes estavam livres da dor, mesmo aqueles que quase já não conseguiam caminhar.

Colesterol
2 colheradas de mel com 03 colherinhas de canela misturados em meio litro de água.
Tomar 03 vezes ao dia.
Isto reduz o colesterol em 10%, em duas horas.
Tomado diariamente, elimina o colesterol ruim.

Resfriados
Para curar completamente sinusite, tosse crônica e resfriado comum ou severo, misturar 01 colherada de mel com 01 colherinha de canela em pó e tomar com frequência.

Dor de Garganta
1 colherada de mel, misturada com meia colher de vinagre de sidra.
Tomar de 4 em 4 horas.

Perda de Peso
Diariamente, meia hora antes de deitar e meia hora antes de tomar o café da manhã, beba mel com canela numa xícara de água.
Se beber todos os dias, reduz o peso até de pessoas muito obesas.

Velhice
Também evita os estragos da idade quando se toma regularmente.
Misture 01 colherada de canela e 03 xícaras de água.
Ferva para fazer um chá. Quando amornar, coloque 04 colheradas de mel.
Beber um quarto (1/4) de xícara, 03 ou 04 vezes ao dia.
Mantém a pele fresca e suave, e, diminui os sintomas da idade avançada.
Beber este chá alonga a vida e até uma pessoa de 100 anos pode melhorar muito e se sentir como alguém muito mais jovem.

Dor de Dentes
Fazer uma pasta com 01 colherinha de canela e 05 colherinhas de mel e aplicar no dente que está doendo. Repita pelo menos 03 vezes ao dia.

Perda de Cabelo
Os que sofrem de calvície ou estão perdendo o cabelo, podem aplicar uma pasta de azeite de oliva (aqueça o óleo até uma temperatura suportável à pele), 01 colherada de mel e 01 colherinha de canela em pó, no couro cabeludo.
Deixar por 15 minutos antes de lavar.
Foi comprovado que é eficiente mesmo quem deixar a pasta na cabeça somente 05 minutos.

Picadas de Insetos
Misture 01 colherinha de mel, 02 colherinhas de água morna e 01 colherinha de canela em pó. Faça uma pasta com os ingredientes e esfregue-a suavemente sobre a picada.
A dor e a coceira irão desaparecer em um ou dois minutos.

Diversos
A mistura de mel com canela alivia os gases no estômago, fortalece o sistema imunológico e alivia a indigestão.



Tudo foi criado por Deus com perfeição e amor !
Posted by Picasa

27 de fev de 2009

Prece de Um Índio


Índio Cherokee

Oh Grande Espírito, cuja voz escuto nos ventos e cujo sopro dá vida a todo o mundo, escuta-me!
Eu sou pequeno e fraco.

E preciso de tua força e de tua sabedoria.

Permite-me andar em beleza e faça que meus olhos sempre vejam o vermelho e o púrpura do pôr-do-sol.
Faça com que as minhas mãos respeitem as coisas por ti criadas, e que meus ouvidos se afinem para escutar a tua voz.

Torna-me sábio, para que eu possa entender as coisas que ensinaste ao meu povo.
Permita-me aprender as lições escondidas em cada folha e cada pedra.

Eu busco a força.
Não para ser maior que meus irmãos, mas para lutar contra o meu maior inimigo - eu mesmo. Permita-me estar sempre pronto para voltar a ti com as mãos limpas e os olhos honestos, para que quando a vida se apagar, como o sol que se põe, meu espírito possa retornar a ti isento de vergonha.


Posted by Picasa
Aos indios que ainda apregoam a paz, a conservação da natureza, a beleza da simplicidade e pureza da alma...
Aos que têm muito a ensinar e que ainda não foram contaminados pela ganância, poder e sentimentos impuros dos brancos...
Que se façam abençoados ainda mais por Deus e continuem mostrando ao mundo que podemos encontrar felicidade no olhar refletido nas águas...
Na inocência da nudez bem aventurada...
E na linguagem universal das coisas de Deus!
***

26 de fev de 2009

Pastores e Lobos


Pastores e lobos têm algo em comum: ambos se interessam e gostam de ovelhas, e vivem perto delas. Assim, muitas vezes, pastores e lobos nos deixam confusos para saber quem é quem. Isso porque lobos desenvolveram uma astuta técnica de se disfarçar em ovelhas interessadas no cuidado de outras ovelhas. Parecem ovelhas, mas são lobos.

No entanto, não é difícil distinguir entre pastores e lobos. Urge a cada um de nós exercitar o discernimento para descobrir quem é quem.

1. Pastores buscam o bem das ovelhas, lobos buscam os bens das ovelhas.
2. Pastores gostam de convívio, lobos gostam de reuniões.
3. Pastores vivem à sombra da cruz, lobos vivem à sombra de holofotes.
4. Pastores choram pelas suas ovelhas, lobos fazem suas ovelhas chorar.
5. Pastores têm autoridade espiritual, lobos são autoritários e dominadores.
6. Pastores têm esposas, lobos têm coadjuvantes.
7. Pastores têm fraquezas, lobos são poderosos.
8. Pastores olham nos olhos, lobos contam cabeças.
9. Pastores apaziguam as ovelhas, lobos intrigam as ovelhas.
10. Pastores têm senso de humor, lobos se levam a sério.
11. Pastores são ensináveis, lobos são donos da verdade.
12. Pastores têm amigos, lobos têm admiradores.
13. Pastores se extasiam com o mistério, lobos aplicam técnicas religiosas.
14. Pastores vivem o que pregam, lobos pregam o que não vivem.
15. Pastores vivem de salários, lobos enriquecem.
16. Pastores ensinam com a vida, lobos pretendem ensinar com discursos.
17. Pastores sabem orar no secreto, lobos só oram em público.
18. Pastores vivem para suas ovelhas, lobos se abastecem das ovelhas.
19. Pastores são pessoas humanas reais, lobos são personagens religiosos caricatos.
20. Pastores vão para o púlpito, lobos vão para o palco.
21. Pastores são apascentadores, lobos são marqueteiros.
22. Pastores são servos humildes, lobos são chefes orgulhosos.
23. Pastores se interessam pelo crescimento das ovelhas, lobos se interessam pelo crescimento das ofertas.
24. Pastores apontam para Cristo, lobos apontam para si mesmos e para a instituição.
25. Pastores são usados por Deus, lobos usam as ovelhas em nome de Deus.
26. Pastores falam da vida cotidiana, lobos discutem o sexo dos anjos.
27. Pastores se deixam conhecer, lobos se distanciam e ninguém chega perto.
28. Pastores sujam os pés nas estradas, lobos vivem em palácios e templos.
29. Pastores alimentam as ovelhas, lobos se alimentam das ovelhas.
30. Pastores buscam a discrição, lobos se autopromovem.
31. Pastores conhecem, vivem e pregam a graça, lobos vivem sem a lei e pregam a lei.
32. Pastores usam as Escrituras como texto, lobos usam as Escrituras como pretexto.
33. Pastores se comprometem com o projeto do Reino, lobos têm projetos pessoais.
34. Pastores vivem uma fé encarnada, lobos vivem uma fé espiritualizada.
35. Pastores ajudam as ovelhas a se tornarem adultas, lobos perpetuam a infantilização das ovelhas.
36. Pastores lidam com a complexidade da vida sem respostas prontas, lobos lidam com técnicas pragmáticas com jargão religioso.
37. Pastores confessam seus pecados, lobos expõem o pecado dos outros.
38. Pastores pregam o Evangelho, lobos fazem propaganda do Evangelho.
39. Pastores são simples e comuns, lobos são vaidosos e especiais.
40. Pastores tem dons e talentos, lobos tem cargos e títulos.
41. Pastores são transparentes, lobos têm agendas secretas.
42. Pastores dirigem igrejas-comunidades, lobos dirigem igrejas-empresas.
43. Pastores pastoreiam as ovelhas, lobos seduzem as ovelhas.
44. Pastores trabalham em equipe, lobos são prima-donas.
45. Pastores ajudam as ovelhas a seguir livremente a Cristo, lobos geram ovelhas dependentes e seguidoras deles.
46. Pastores constroem vínculos de amizade, lobos aprisionam em vínculos de dependência.

Os lobos estão entre nós e é oportuno lembrar-nos do aviso de Jesus Cristo: “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores” (Mateus 7:15).
Posted by Picasa

15 de fev de 2009

O Tempo que Foge

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para
viver daqui para frente do que já vivi até agora !


Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas.

As primeiras, ele chupou displicente,

mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.


Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.

Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.

Não tolero gabolices.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram,

cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para projetos megalomaníacos.

Não participarei de conferências que estabelecem prazos fixos

para reverter a miséria do mundo.

Não vou mais a workshops onde se ensina como converter milhões

usando uma fórmula de poucos pontos.
Não quero que me convidem para eventos de um fim-de-semana

com a proposta de abalar o milênio.

Já não tenho tempo para reuniões intermináveis

para discutir estatutos, normas, procedimentos parlamentares e regimentos internos.


Não gosto de assembléias ordinárias em que as organizações procuram se
proteger e perpetuar através de infindáveis detalhes organizacionais.

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas,
que apesar da idade cronológica, são imaturos.

Não quero ver os ponteiros do relógio avançando em reuniões

de "confrontação", onde "tiramos fatos à limpo".

Detesto fazer acareação de desafetos

que brigaram pelo majestoso cargo de secretário do coral.

Já não tenho tempo para debater vírgulas, detalhes gramaticais
sutis, ou sobre as diferentes traduções da Bíblia.

Não quero ficar explicando porque gosto da Nova Versão Internacional das Escrituras,

só porque há um grupo que a considera herética.

Minha resposta será curta e delicada:
- Gosto sim e ponto final!

Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou:
"As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos".

Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos.

Já não tenho tempo para ficar explicando a ninguém se estou ou não perdendo a fé porque admiro a poesia do Chico Buarque, Vinicius de Moraes e Manuel du Bocage; a voz da Maria Bethânia; os livros de Machado de Assis, Thomas Mann, Ernest Hemingway , Huberto Rohden e José Lins do Rego.

Sem muitas jabuticabas na bacia,

quero viver ao lado de gente humana, muito humana;

que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos,

não se considera eleita para a "última hora"; não foge de sua mortalidade,

defende a dignidade dos marginalizados, e deseja andar humildemente com Deus.

Caminhar perto delas nunca será perda de tempo !!!

Soli Deo Gloria

Posted by Picasa

11 de fev de 2009

Capas e Vernizes

Ao viajar pelo Oriente, mantive contatos com monges do Tibete, da Mongólia, do Japão e da China. Eram homens serenos, comedidos, recolhidos e em paz nos seus mantos cor de açafrão.

Outro dia, eu observava o movimento do aeroporto de São Paulo: a sala de espera cheia de executivos com telefones celulares, preocupados, ansiosos, geralmente comendo mais do que deviam. Com certeza, já haviam tomado café da manhã em casa, mas como a companhia aérea oferecia um outro café, todos comiam vorazmente.

Aquilo me fez refletir: 'Qual dos dois modelos produz felicidade?'

Encontrei Dani ela, 10 anos, no elevador, às nove da manhã, e perguntei: 'Não foi à aula?' Ela respondeu: 'Não, tenho aula à tarde'.
Comemorei: 'Que bom, então de
manhã você pode brincar, dormir até mais tarde'. 'Não', retrucou ela, 'tenho tanta coisa de manhã...'

'Que tanta coisa?', perguntei. 'Aulas de inglês, de balé, de pintura, piscina', e começou a elencar seu programa de garota robotizada.

Fiquei pensando: 'Que pena! A Dani não disse: 'Tenho aula de meditação!'

Estamos construindo super-homens e super-mulheres, totalmente equipados, mas emocionalmente infantilizados.

Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de ginástica e três livrarias!

Não tenho nada contra malhar o corpo, mas me preocupo com a desproporção em relação à malhação do espírito. Acho ótimo, vamos todos morrer esbeltos: 'Como estava o defunto?'. 'Olha, uma maravilha, não tinha uma celulite!' Mas como fica a questão da subjetividade? Da espiritualidade? Da ociosidade amorosa?

Hoje, a
palavra é virtualidade. Tudo é virtual.
Trancado em seu quarto, em Brasília, um homem pode ter uma amiga
íntima em Tóquio, sem nenhuma preocupação de conhecer o seu vizinho de prédio ou de quadra! Tudo é virtual. Somos místicos virtuais, religiosos virtuais, cidadãos virtuais.
E somos também eticamente virtuais...

A palavra hoje é 'entretenimento'; domingo, então, é o dia nacional da imbecilização coletiva. Imbecil o apresentador, imbecil quem vai lá e se apresenta no palco, imbecil quem perde a tarde diante da tela.

Como a publicidade não consegue vender felicidade, passa a ilusão de que felicidade é o resultado da soma de prazeres: 'Se tomar este refrigerante, vestir este tênis, usar esta camisa, comprar este carro, você chega lá!'

O problema é que, em geral, não se chega!

Quem cede desenvolve de tal maneira o desejo, que acaba precisando de um analista. Ou de remédios. Quem resiste, aumenta a neurose.

O grande desafio é começar a ver o quanto é bom ser livre de todo esse condicionamento
globalizante, neoliberal, consumista. Assim, pode-se viver melhor. Aliás, para uma boa saúde mental três requisitos são indispensáveis: amizades, auto-estima, ausência de estresse.

Há uma
lógica religiosa no consumismo pós-moderno. Na Idade Média, as cidades adquiriam status construindo uma catedral; hoje, no Brasil, constrói-se um shopping center. É curioso: a maioria dos shoppings centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de missa de domingo. E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas...

Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela musiquinha de esperar dentista.
Observam-se os vários nichos, todas aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas. Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Se deve passar cheque pré-datado, pagar a crédito, entrar no cheque especial, sente-se no purgatório. Mas se não pode comprar, certamente vai se sentir no inferno... Felizmente, terminam todos na eucaristia pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo hambúrguer do Mc Donald...

Costumo
advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas: 'Estou apenas fazendo um passeio socrático.'

Diante de seus olhares espantados, explico: 'Sócrates, filósofo grego, também gostava de descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas. Quando vendedores como vocês o assediavam, ele respondia: "Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso, para ser feliz!"

Frei Betto

9 de fev de 2009

Saudade - O Amor que fica !

Emocionante como uma criança pode definir um sentimento que muitos adultos não sabem nem mesmo o que é.
Médico cancerologista, já calejado com longos 29 anos de atuação profissional, com toda vivencia e experiência que o exercício da medicina nos traz, posso afirmar que cresci e me modifiquei com os dramas vivenciados pelos meus pacientes.
Dizem que a dor é quem ensina a gemer.
Não conhecemos nossa verdadeira dimensão, até que, pegos pela adversidade, descobrimos que somos capazes de ir muito mais além. Descobrimos uma força mágica que nos ergue, nos anima, e não raro, nos descobrimos confortando aqueles que vieram para nos confortar.

Um dia, um anjo passou por mim...
No início da minha vida profissional, senti-me atraído em tratar crianças, me entusiasmei com a oncologia infantil.
Tinha, e tenho ainda hoje, um carinho muito grande por crianças. Elas nos enternecem e nos surpreendem como suas maneiras simples e diretas de ver o mundo, sem meias verdades. Quando perdemos um paciente, voltamos à planície, experimentamos o fracasso e os limites que a ciência nos impõe e entendemos que não somos deuses. Somos forçados a reconhecer nossos limites!
Recordo-me com emoção do Hospital do Câncer de Pernambuco, onde dei meus primeiros passos como profissional.
Nesse hospital, comecei a freqüentar a enfermaria infantil, e a me apaixonar pela oncopediatria. Mas também comecei a vivenciar os dramas dos meus pacientes, particularmente os das crianças, que via como vítimas inocentes desta terrível doença que é o câncer.
Com o nascimento da minha primeira filha, comecei a me acovardar ao ver o sofrimento destas crianças.
Até o dia em que um anjo passou por mim...
Meu anjo veio na forma de uma criança já com 11 anos, sofrida, porém por 2 longos anos de tratamentos os mais diversos, hospitais, exames, manipulações, injeções, e todos os desconfortos trazidos pelos programas de quimioterapias e radioterapia. Mas nunca vi meu anjo fraquejar.

Já a vi chorar sim, muitas vezes, mas não via fraqueza em seu choro.
Via medo em seus olhinhos algumas vezes, e isto é humano!
Mas via confiança e determinação. Ela entregava o bracinho à enfermeira, e com uma lágrima nos olhos dizia: faça tia, é preciso para eu ficar boa.
Um dia, cheguei ao hospital de manhã cedinho e encontrei meu anjo sozinho no quarto.
Perguntei pela mãe. E comecei a ouvir uma resposta que ainda hoje não consigo contar sem vivenciar profunda emoção. Meu anjo respondeu:
- Tio, disse-me ela, às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondido nos corredores. Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade de mim. Mas eu não tenho medo de morrer. Eu não nasci para esta vida!
Pensando no que a morte representava para crianças, que assistem seus heróis morrerem e ressuscitarem nos seriados e filmes, indaguei:

- E o que morte representa para você, minha querida?
- Olha tio, quando agente é pequena, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e no outro dia acordamos no nosso quarto, em nossa própria cama não é? (Lembrei minhas filhas, na época crianças de 6 e 2 anos, elas costumavam dormir no meu quarto e após dormirem eu procedia exatamente assim.)
É isso mesmo, e então?
- Vou explicar o que acontece, continuou ela: Quando nós dormimos, nosso pai vem e nos leva nos braços para o nosso quarto, para nossa cama, não é?
- É isso mesmo querida, você é muito esperta!
- Olha tio, eu não nasci para esta vida!
Um dia eu vou dormir e o meu Pai vem me buscar. Vou acordar na casa Dele, na minha vida verdadeira!
Fiquei "entupigaitado". Boquiaberto, não sabia o que dizer.
Chocado com o pensamento deste anjinho, com a maturidade que o sofrimento acelerou, com a visão e grande espiritualidade desta criança, fiquei parado, sem ação.
- E minha mãe vai ficar com muitas saudades minha, emendou ela.

Emocionado, travado na garganta, contendo uma lágrima e um soluço, perguntei ao meu anjo:
- E o que saudade significa para você, minha querida?
- Não sabe não tio? Saudade é o amor que fica!

Hoje, aos 53 anos de idade, desafio qualquer um dar uma definição melhor, mais direta e mais simples para a palavra saudade: é o amor que fica!
Um anjo passou por mim...
Foi enviado para me dizer que existe muito mais entre o céu e a terra, do que nos permitimos enxergar. Que geralmente, absolutilizamos tudo que é relativo (carros novos, casas, roupas de grife, jóias) enquanto relativizamos a única coisa absoluta que temos, nossa transcendência.
Meu anjinho já se foi, há longos anos, mas me deixou uma grande lição, vindo de alguém que jamais pensei, por ser criança e portadora de grave doença, e a quem nunca mais esqueci.

Deixou uma lição que ajudou a melhorar a minha vida, a tentar ser mais humano e carinhoso com meus doentes, a repensar os meus valores.
Hoje, quando a noite chega e o céu está limpo, vejo uma linda estrela a quem chamo "meu anjo, que brilha e resplandece no céu. Imagino ser Ela, fulgurante em sua nova e eterna casa.
Obrigado meu anjinho, pela vida bonita que você teve, pelas lições que me ensinou, pela ajuda que me deu.
Que bom que existem saudades!
O amor que ficou é eterno.
Rogério Brandão
Posted by Picasa

7 de fev de 2009

Os Políticos...

'Os políticos e as fraldas
devem ser trocados frequentemente e pela mesma razão'

Eça de Queiroz

Posted by Picasa

1 de fev de 2009

Judeus Com Cristo - Duplamente eleitos...

Os judeus messiânicos constituem um grupo influente

Eles receberam a fé pela salvação em Jesus Cristo, mas diferentemente da memória dos crentes, não se consideram convertidos, e sim, ‘completados’. Sua herança regiliosa remonta ao início dos tempos bíblicos, mas eles não vivem aferrados às tradições rituais de seus antepassados. E, mesmo que seu povo não considere Cristo como o Salvador, eles têm o coração aberto para o filho de Deus.

São os judeus messiânicos, pessoas que não deixaram de ser o que são por acreditarem que Jesus Cristo – ele mesmo, o Rabi da Galiléia, que viveu, pregou, morreu e ressuscitou na Judéia conforme narram os evangelhos – é o mesmo Messias prometido nas Sagradas Escrituras. Embora ainda não sejam muito numerosos – segundo as estatísticas, eles seriam pelo menos 150 mil no mundo e pelo menos dois mil no Brasil, os judeus messiânicos constituem um grupo influente e que chama a atenção pela maneira como vivem a própria fé.

Pode-se dizer que eles são duplamente eleitos: pertecem à naçao escolhida por Deus para firmar sua aliança com a humanidade e tornaram-se também filhos do Senhor por intermédio de Yeshua - Jesus em hebráico.

Cercada por muita curiosidade, a fé dos judeus messiânicos chama atenção dos outros crentes. A começar por certas particularidades. Embora mantenham comunhão com os irmãos de outras denominações, a maioria deles prefere congregar em comunidades bem singulares, onde paramentos e adereços como o talit, espécie de xalé usado pelos homens, e a menorá - aquele típico candelabro de sete braços - podem ser vistos durantes os cultos.

Numa congregação judaico-messiância, ensina-se os dois testamentos, celebram-se festas judaicas e os cultos, ou celebrações, incluem cânticos em hebráico e português. É o caso da Beit Sar Shalom (Casa do Peincípe da Paz, em SP) a mais antiga do gênero no Brasil, findada há 39 anos por Emmanuel Woods.

O comerciante Zenon Roizen, de 67 anos, gosta de dizer que foi circuncidado duas vezes. 'A primeira foi na carne aos oito dias de nascido, conforme a tradição; a segunda, espiritual, quando fiz minha aliança com Cristo'.

Quando jovem, na Sinagoga, ele sentia-se insastisfeito e sequer entendia o significado das rezas. 'Eu sentia um vazio na alma, diferente de meus parentes', conta. Em 1985, sob orientação de Leonard Meznar passou a aprender a Bíblia, em especial as profecias messiânicas, o que foi determinante para sua conversão.


'Conheci algo que não foi me ensinado nas sinagogas. Descobri que o Messias e Filho de Deus não veio para os religiosos, mas para pecadores como eu. Por isso mesmo considero-me um privilegiado', disse Zenon.

George Arribas

Fonte: Revista Cristianismo Hoje

Posted by Picasa