19 de jan de 2009

Coca Cola Zero e o Doutor Silva

Quando beber uma Coca Zero, lembre-se que seu alquimista inventor é brasileiro

A Coca-Cola levou 25 anos em intincadas pesquisas secretas para desenvolver a Coca Zero, hoje um tremendo prodígio em vendas. O maior sucesso da empresa em 40 anos!

O que o sucesso de uma das maiores multinacionais do mundo tem a ver com o Brasil desperdiçar talentos?
Voce sabia que o pesquisador master do projeto Coca Zero e cérebro desse sucesso é um tal de doctor Silva?

Pois é, o cara atende por doctor Raimundo Alves da Silva, nascido no sertão seco e sofrido do Ceará! Vale a pena conhecer sua incrível história que aqui resumo, através de uma entrevista dele numa revista americana:

A cidade natal de nosso doutor Raimundo é uma tal de Arneiroz (Arnei o que? quem ouviu falar?). Ela fica no alto sertão cearense, conhecido lá como região dos Inhamuns , 400 km ao sudoeste da capital Fortaleza. Lugarzinho longe de tudo, um poeiral danado e de muita miséria. Quando ele nasceu, há 45 anos, Arneiroz tinha só 6 anos que havia se emancipado do município de Tauá importantíssimo saber, um pouco de cultura pros brô!). Não tinha quase nada em Arneiroz da civilização tecnológica.

Coca-Cola só tinha em Tauá!

A família Silva morava na zona rural, em um sítiozinho distante da cidade (ou era vila?), de colégio, posto de saúde e tudo o mais. Na casinha da família não havia nem luz, água encanada, piso, nem fogão! O pai de nosso gênio de cabeça chata se mandou de lá fugindo da seca para São Paulo (sempre Sampa, meu!). Somente depois de algum tempo e de arranjar emprego numa obra (depois, melhor de vida foi porteiro) e conseguir um barraco, trouxe a mulher (com o maior barrigão) e mais cinco filhos.

O da barriga morreu no caminho e o Raimundim, seu nome familiar, era o mais novo, o caçula. Quando chegou em Sampa, com seis anos, ele já era meio assim auto-didata.

Praticamente se alfabetizara sozinho, já que pouco conseguia ir à escola no sertão, porque ficava muito longe de casa e o 'fusca' da família, um jumento, morrera de fome e sede na seca.

A mãe era analfabeta e o pai quase, mas mesmo assim, naquele tempo, cuidava só da roça, da sobrevivência, não tinha tempo para ensinar os moleques . Raimundim, teve que trabalhar e estudar ao mesmo tempo desde criança... um sacrifício danado!

Ele, na entrevista, cita agradecido ao pai, pobre mas trabalhador e dedicado à família e que em São Paulo fez muitos sacrifícios para que nosso dedicado Raimundim estudasse e se formasse (como ele diz: 'e virasse gente').

Esforçado, persistente, inteligente, dedicado ao extremo e outros adjetivos mais, ele conseguiu passar no vestibular para a Química da USP e a partir daí decolou!

Após graduar-se, conquistou uma bolsa de uma ONG para pós-graduação em Campinas, depois outra para mestrado, seguida de doutorado no famoso Massachusetts Institute of Technology, nos States.

Os gringos perceberam que Raimundim ( Dr. Silva) era uma mina.

Claro que não o deixaram mais voltar para a sua terra. Foi contratado pela Coca em Atlanta e lá fez uma ascendente e brilhante carreira. Raimundim - Doctor Silva, é um nome muito respeitado e valorizado no meio acadêmico, tecnológico e científico dos Estados Unidos.

Poderíamos dizer que Raimundim, perdão, Doctor Silva é o cara! Uma história bonita, escrita com muita dedicação; motivo de exemplo e orgulho para o nosso país.

Quando beber uma Coca Zero, lembre-se que seu alquimista inventor é o Raimundim do Brasil, nascido pobrezinho, fugido da seca... porém movido por umasem limites nas misericórdias divinas que aliada ao esforço pessoal - venceu com um imenso V maiúsculo.

Raimundim bem sabe o que significa essa verdade: querendo Deus, quem impedirá?

George Arribas





2 comentários:

  1. Cade a cara dele? Eu acredito mas quem e ele? Repasse para um programa nacional fazer referencia. Ele deve ser exemplo estimulo para as criancas. Chega de tanta midia boba. Faca-o publico.

    ResponderExcluir
  2. tam bem quero ta gostei da reportagem

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário